terça-feira, 17 de junho de 2014

APRESENTAÇÃO DO LIVRO “QUANDO JÁ NÃO ESTIVERES…” - Maria Mamede


Durante este evento fizemos alguns vídeos:
Deixo-vos com a atuação do Fernando Ribeiro e um momento de Poesia com a Maria Mamede e a Conceição Lima.

Um abraço,
José Gomes

Poema para depois

Yolanda

Maria Mamede e Conceição Lima declamam no Flor de Infesta



domingo, 15 de junho de 2014

"QUANDO JÁ NÃO ESTIVERES…” - Maria Mamede

Maria Mamede, concentrada, nos autógrafos...
Foi neste sábado que, dia 14 de Junho de 2014, que o Flor de Infesta e a Maria Mamede receberam os amigos que vieram ao "batizado" do mais recente livro desta nossa poetisa.

Foi uma cerimónia simples, um convívio que juntou amigos e admiradores da Maria Mamede e da sua obra. Estiveram presentes na mesa Miguel Magalhães Ferreira, representando a AICEM - Associação do Idioma e Culturas em Português, José Gomes, mestre de cerimónias, Maria Mamede, autora do livro hoje a ser lançado, Prof. António Oliveira, que falou sobre a obra  e Jorge Castelo Branco, editor  dos livros da Maria Mamede e que falou sobre o percurso da obra desta poetisa.

Maria Mamede, Presidente da Assembleia Geral, deu as boas vindas, em nome do G. D. Musical Flor de Infesta, a todos os presentes, na impossibilidade de estar presente o Presidente da Direção (mesmo assim representado pelos membros dos corpos gerentes, D. Maria Antónia e Sr. Joaquim Fernandes.

José Gomes deu entrada à autora e ao seu mais recente "rebento" a que chamou "Quando já não estiveres...", concluindo com A todos quantos quiserem ler este livro de Poesia, deixem que não sejam só os vossos olhos a fazê-lo; ponham, também, nessa vossa leitura um pouquinho da vossa alma e do vosso sentir e deixem-se contagiar pela poesia e pela meiguice das suas palavras… tenho a certeza que não se irão arrepender!”.

Fernando Ribeiro e Maria Mamede
Fernando Ribeiro, um amigo de longa data, musicou e cantou "Poema Para Depois", poema de Maria Mamede.

Jorge Castelo Branco, o editor deste livro, e o Prof. António Oliveira falaram da autora, da sua obra e, especialmente deste livro, que tem a característica de ser duplo, segredo bem guardado pois só em cima do acontecimento é que fui informado... parece que sou um exemplar de indígena que, MESMO SEM QUERER, não consigo guardar segredo!!!!

Maria Mamede agradeceu com este pedaço de prosa que não resisto à tentação de o divulgar: "Dizem, nesta coisas de lançamentos e em muitas outras, que: - o que custa é o primeiro…porém, quanto a mim, qualquer um deles é o primeiro…o nervosinho na barriga, a preocupação para que tudo saia bem; qual a recepção do público ao livro; se a dedicação e empenho do Editor vai ser devidamente recompensada; se os Amigos e Amigas vão poder estar presentes, para me darem o seu abraço…enfim, um mundo de interrogações aparece no meu coração e na minha mente, mas ao mesmo tempo, à medida que os anos vão correndo, contra o fogo destas incertezas vai deslizando o suave regato duma certeza…cada vez mais, o que verdadeiramente importa é o AFECTO e esse só posso agradecer na reciprocidade.
Por isso, meus queridos Amigos e Amigas, o que fica de tudo o que se passa numa vida com a lonjura da minha, é esta enorme, esta imensa alegria de vos ter comigo, porque são meus Amigos, e porque gostam dos meus versos.
OBRIGADA de todo o coração!"

Começou, então, a parte lúdica do lançamento. O Maestro Francisco Luís Vieira, um amigo recente, trouxe-nos a sua arte e tocou várias peças em oboé, acompanhado pelo amigo Jorge Casimiro. Vão ter ocasião de apreciar o virtuosismo destes dois músicos, quando puser neste blogue os vídeos que se filmaram.

Seguiu-se a declamação da POESIA deste livro... "A Poesia é uma forma de ESTAR e SENTIR a VIDA em toda a sua acessão! A Maria Mamede é isso mesmo: estar e sentir a vida que nos rodeia. Estes amigos vão desvendar o véu de “Quando já não estiveres…” e deixar fluir aquilo que senti ao ler este livro".

Declamaram poesia:  Marília Teixeira, Maria Rosa Bastos, Irene Lamolinairie, Jorge Castelo Branco, Maria José Santos Leite, Mariana Vieira (fez, nesta noite, o seu batismo a dizer Poesia), Victor Freitas (este amigo veio diretamente de Lisboa, para estar aqui no nosso meio), Conceição Lima e a autora.

Antes de se passar aos autógrafos, Fernando Ribeiro cantou-nos mais uma canção.

As fotografias vão estar num Álbum no Facebook. É só procurar por Zeca Maneca.

Maria Mamede, na sua azáfama...


Um abraço a todos, especialmente à Maria Mamede.

José Gomes