segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Mensagem de Natal


Poema de Natal

Se considero o triste abatimento
Em que me faz jazer minha desgraça,
A desesperação me despedaça,
No mesmo instante, o frágil sofrimento.

Mas súbito me diz o pensamento,
Para aplacar-me a dor que me trespassa,
Que Este que trouxe ao mundo a Lei da Graça,
Teve num vil presepe o nascimento.

Vejo na palha o Redentor chorando,
Ao lado a Mãe, prostrados os pastores,
A milagrosa estrela os reis guiando.

Vejo-O morrer depois, ó pecadores,
Por nós, e fecho os olhos, adorando
Os castigos do Céu como favores.

Manuel Maria Barbosa du Bocage



sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Timor - Ontem e Hoje


Pensei falar, neste dia 7 de Dezembro, que Díli, capital de Timor Leste, foi invadida em 7 de Dezembro de 1975 pelas forças agressoras indonésias.

Desisti, pois foi uma data que nos marcou muito.

É uma data histórica, um grito heróico do Povo Timorense que, passo a passo, com muito sacrifício e muita luta caminhou até à vitória final: a restauração da sua independência em 20 de Maio de 2002.

Em homenagem a este Povo heróico, deixo este trabalho.

Timor - Foto Tozé - 2003

TIMOR…
Conta a lenda que, um belo dia, um cansado e desiludido crocodilo se fez ao mar, levando no seu dorso um rapaz que o acompanhou na busca de um disco dourado que todos os dias se levantava para lá do horizonte...

Conta a lenda que esse crocodilo, ao chegar ao seu destino, se transformou dando origem à ilha de Timor.

E o rapaz, feito Homem, deu origem a uma Nação: TIMOR LESTE.


Timor - Pintura de Milú Coelho Gomes 



Timor é um país de sonho e encantamento, perdido entre planícies verdejantes, montanhas floridas e rodeado de um extenso mar da cor do céu.

As montanhas de Timor, da altura dos Pirinéus, são rasgadas por precipícios que se espelham no azul do mar.

O Sol, com os seus raios, desflora a terra vermelha de Timor calcinando-lhe as pedras, lançando fogo e luz sobre as planícies e os vales floridos.

Como é belo sonhar à sombra dos tamarindos em flor, aspirar a brisa ondulante dos extensos palmares, sentir o perfume inebriante do sândalo e dos cafezais, ouvir o ronronar suave das águas do mar quando se espreguiçam nas praias douradas.


Timor - Toké - M. Amado - Outubro 2003

Lembro do cantar dos Tokés (espécie de lagarto ou sardão cuja voz imita esta palavra) que povoavam os tectos das nossas casas ou corriam pelas árvores.


Timor - Acácias Rubras - foto Prof. A. Serra - Nov. 2003

Sinto o suave aroma das acácias rubras que ladeavam as largas avenidas e o cheiro das rosas do meu quintal cujo aroma atraía as abelhas das redondezas.

Ouço, ainda, o latir do velho Tejo a pedir uma carícia no seu focinho húmido, quando me sentia chegar da escola...

Lembro-me das catatuas, donzelas de branco, toucado amarelo e olhos de rubi.




Lembro-me dos loricos, de cores verde, vermelho e amarelo, cujo colorido me deslumbrava, e que se passeavam, sem medo, pelo meio das pessoas tecendo seus comentários no palrar das suas gargantas...
...

Deixo-me levar, deleitado, pelos cânticos das mais variadas aves que fazem a saudação ao Sol do dia-a-dia.


Timor é uma sinfonia mística de cores, de cambiantes garridos de Vida, de searas extensas que flutuam ao som dos ventos rasantes, onde os grilos, as cigarras e os camarões se guerreiam por um grão de milho doirado.

As águas das ribeiras correm inquietas, dolentes às vezes, alucinadas quase sempre, ansiosas por chegar ao fim, pelo abraço terno do “mar-mulher”, de águas mornas, muito límpidas e calmas.

As ribeiras são símbolos... símbolos da vida do Oriente, símbolos da vida de Timor.

A Vida corre, sem preocupações, o Sol aquece, as Sombras são tão doces e suaves...

Lá ao longe ouve-se o ressoar monótono e monocórdico dos tambores, as vozes erguem-se ora dolentes ora em gritos, como um chamamento da Terra-mãe, da pátria Maubere...

A Vida é bela, e vive-se...

A Vida não é mais que a ânsia de viver, de sentir-se Vida em todo o seu êxtase de loucura, do sorver cada momento que passa...

Enquanto se vive, luta-se... quando a luta chega ao fim, a Vida acabou!

Depois...

Depois vem o descanso, o bem-estar, o regresso às origens...

O mar, no seu vai e vem de milénios, continua a beijar a ilha em forma de crocodilo...

O Sol aquece...

O chilrear das aves anuncia o novo dia!


José Gomes
07 de Dezembro 2012






domingo, 2 de dezembro de 2012

Noites de Poesia em Vermoim - 1 Dez. 2012 - a reportagem


A pedido do Movimentum – Arte e Cultura (e porque estes Amigos estão de parabéns pelo seu 19º aniversário!!!) transcrevemos o post que publicaram em http://movimentum-blogando.blogspot.pt/, convidando os nossos leitores a fazer um pequeno exercício de divulgação – e seria ouro sobre azul deixarem um comentário. Olhem que eles merecem.


Foi uma Noite de Poesia muito diferente. Diferente, porque teve gente jovem, nesta noite em que invocamos a velhice, a dar, musicalmente, o seu contributo. Diferente, porque teve uma televisão regional a fazer uma reportagem das nossas Noites de Poesia. Diferente porque, como Movimentum - Arte e Cultura, fazemos 19 anos de actividade... e 19 anos é mesmo muito tempo!

Mas que tem valido a pena, ai isso é que tem!

Recebemos várias mensagens de parabéns, destacamos estas duas, a primeira recebida por email, a segunda lida durante a Tertúlia:


"O Movimentum - Arte e Cultura completou ontem 30 de Novembro, 19 anos de existência...!

Foi no ano de 1993 que pela mão de Maria Mamede, Maria Jerónima, José Gomes, Milú Coelho, Raquel Silva e Sónia Gomes.

Como os anos velozmente passam! 19 anos.

Rejeitando flutuar ao sabor do vento e marés, tanto em voga já que o melhor seria sucumbir.

Felicito a todas e a todos amigas(os), à Maria Mamede e ao José Gomes. Agradecendo tudo o que em prol da cultura têm feito.

Parabéns ao Movimentum - Arte e Cultura.

1 Dezembro 2012
Jorge Carvalho"


Maria Mamede agradeceu a presença de todos os poetas e justificou a ausência de outros, nomeadamente da Irene Lamolinairie (que mandou um abraço muito apertado, desejos de Bom Natal e felicidades para o Novo Ano) que continua doente mas sempre com o seu pensamento nos seus amigos que continuam a frequentar as Noites de Poesia. Agradeceu, ainda, a presença da Media Comunicação Regional, o canal de televisão on line que esteve a fazer a cobertura desta Noite de Poesia. Introduziu, ainda, a Maria Inês António (9 anos), Margarida Silva (14 anos) e António Francisco (11 anos) que iriam fazer a cobertura musical deste evento. Estes jovens são alunos da Filarmonia de Vermoim, apadrinhada pela Junta de Freguesia e vieram acompanhados pelos seus professores.

Maria Inês António, de 9 anos, em dueto com o seu professor Pedro Brito deliciou-nos com a sua interpretação ao pino de "Banda de Música em Movimento", de Charles Ward.

Maria Mamede deu início ao tema desta Noite com um poema seu (Quando eu for velha) salientando a sua alegria pela presença neste Salão de tantos jovens promissores de um novo Futuro.

Seguiram-se os poetas Armindo Cardoso, Teresa Vaz, Pedro Cabral, Maria José Santos Leite e José Ribeiro que nos declamaram poemas do tema e tema livre.

Margarida Silva, de 14 anos, aluna do professor Pedro Brito, interpretou-nos ao piano a peça Clair de Lune, de Debussy.

Manuela Miguéns, Jorge Carvalho, Marília Teixeira, Silvino Figueiredo, José Gomes e Maria Mamede declamaram poemas do tema e tema livre.

António Francisco, 11 anos, em violino, interpretou-nos a Concertina de Rieding.

Mário Jorge, em nome da Junta de Freguesia de Vermoim, desejou a todos os poetas presentes e ausentes um Bom Natal e um óptimo Ano Novo. Salientou que a Junta de Freguesia tem sempre apostado na Cultura e já tem obra feita. Em primeira mão divulgou a vontade da Junta de Freguesia de Vermoim, em Maio/Junho do próximo ano, editar o III Antologia das Noites de Poesia em Vermoim - 2009-2012.

Na rubrica "Poesia na Net" foram declamados poemas de Teresa Gonçalves, Natália Vale, João Diogo e José Carlos Moutinho.




Esta "Noite de Poesia em Vermoim" terminou com "Parabéns a Você", dedicado ao Movimentum - Arte e Cultura, tocado por Maria Inês ao piano, e António Francisco em violino e cantado, de pé, por todo o público presente.

Muito obrigado a todos.

Voltamos em 5 Janeiro 2013 e o tema proposto é:

Novo ano... e agora?!!!





Podem ver a reportagem deste evento em:

mcregional.tv
televisão on line
a cultura está neste neste canal

www.mcregional.tv

Envie o seu comentário para:
geral@mcregional.tv


Boas Festas, Bom Natal e que o Novo Ano de 2013 consiga ser melhor que este que em breve nos abandonará (e sem saudades nossas!!!).

Então, até para o ano!

José Gomes