terça-feira, 29 de maio de 2012

Cerejas - um fruto a fixar




Cerejeira é o nome dado a várias espécies de árvores originárias da Ásia, algumas frutíferas, outras produtoras de madeira exótica. Os frutos da cerejeira são as cerejas, pequenas e arredondadas, apresentando várias cores, sendo o vermelho a mais comum entre as variedades comestíveis.
As cerejas são um dos alimentos mais completos para o nosso corpo pelas suas elevadas quantidades de ferro, cálcio, magnésio, potássio, vitaminas A, B, C, K, fibras e hidratos de carbono.
Entre as virtudes deste fruto destacam-se a sua capacidade analgésica e os seus poderes anti-inflamatórios.

A cereja na medicina:

Contra o cancro - O ácido elágico, um fitoquímico com propriedades antioxidantes, inibe o desenvolvimento e a reprodução de células cancerígenas.

Para manter a linha - Devido ao seu poder saciante, aliado a muito poucas calorias, as cerejas contribuem para a perda de peso. Cerca de oitenta e cinco por cento da cereja é composto por água e as suas propriedades depurativas e diuréticas ajudam a eliminar toxinas. As fibras e o potássio favorecem uma boa circulação intestinal.

Hipertensão - A ingestão de cerejas contribui para combater a hipertensão, os problemas cardíacos e renais.

Manter a pele saudável - Por ser detentora de betacaroteno, a cereja ajuda a manter os tecidos cutâneos protegidos, defendendo-os das agressões externas.

Vias urinárias - Os pés de cereja são utilizadas em fórmulas cosméticas anti envelhecimento. São, também, óptimos para preparar um chá que é conhecido pelos seus benefícios para as vias urinárias.

Chá de pés de cereja - Lave bem uma boa quantidade de pés de cereja e deixe-os secar ao sol. Depois de estarem bem secos, pode utilizá-los na preparação de um chá. Só tem de ferver água e juntar os pés de cereja. Este chá ajuda a urinar a eliminar toxinas.

Fruto da juventude - Os bioflavonoides impedem a degeneração celular e o elevado índice de minerais existentes na cereja combatem a desmineralização óssea e as queixas associadas à menopausa.

 

Diabetes - A cereja é uma fruta muito rica em hidratos de carbono, sobretudo, em frutose (neste caso a levulose), pelo que é recomendada para pessoas que necessitam de um açúcar saudável e energético. Por isso a cereja é indicada para os diabéticos (quando consumidas de forma moderada), já que o seu açúcar é bem tolerado por estes.

Benefícios das cerejas:

1 - Eliminam toxinas e evitam a retenção de líquidos;
2 - Com batem a prisão de ventre graças ao efeito laxante da fibra;
3 - A sua fibra neutraliza as gorduras, impedindo que estas passem para o sangue. Ajuda a reduzir os níveis de sódio e colesterol, a prevenir a arteriosclerose e a controlar a glicemia (taxa de glicose no sangue) nas pessoas diabéticas;
4 - São ricas em potássio, indispensável para manter o ritmo cardíaco e a actividade muscular;
5 - Tem flavonoides e ácido elágico (inibidor do desenvolvimento e reprodução das células cancerígenas), dois poderosos antioxidantes com acção antisséptica;
6 - Contêm substâncias febrifugas (debeladoras da febre) e analgésicas, que aliviam a dor da gota, reumatismo e artrose;
7 - As sua vitaminas e minerais reforçam o sistema imunitário;
8 - As suas propriedades anti-inflamatórias contribuem para a prevenção de doenças cardiovasculares;
9 - Investigações recentes mostram que as cerejas podem contribuir para a redução da produção de "beta-amilóide", reduzindo o risco de aparecimento da doença de Alzheimer;
10 - São ricas em melatonina (hormona produzida pela glândula pineal) contribuindo, assim, para a redução do jet lag e melhorando a qualidade do sono.

RESUMO:

A cereja é um fruto doce, com qualidades medicinais e diuréticas. É rica em vitaminas A, C e K e, em menores quantidades, de B1, B2, B3. Os elementos minerais mais representativos são o ferro, cálcio, fósforo, cloro, enxofre, magnésio, sódio e potássio.
Quando consumida ao natural tem propriedades refrescantes, depurativas e laxantes.
O consumo diário de 250g de cerejas, durante uma semana, provoca uma diminuição do nível de ácido úrico no sangue.
As cerejas ajudam a manter uma pessoa com aspecto jovem, já que actuam sobre os responsáveis pelo envelhecimento da pele, evitando desta forma as rugas.
Alguns dos seus nutrientes são um remédio natural contra as inflamações e a artrite.
O seu teor em vitamina C ajuda o sistema imunológico e melhora a actividade intelectual.
O teor em cálcio actua contra as doenças dos ossos e ajuda ao crescimento.
O potássio, fornecido pela cereja, melhora o metabolismo celular e o processo de eliminação de líquidos.



Importante - As pessoas que sofrem de diarreias de fermentação e meteorismo, os idosos e as crianças com menos de três anos não devem consumir cerejas cruas.

Valor calórico de 100 g de cerejas------- 60 kcal


Para os mais lambões - Dose recomendada de cerejas: 
200 a 300 g/dia



José Gomes
Pesquisa -Maio 2012


sexta-feira, 11 de maio de 2012

La lampara marina

Álvaro Cunhal - Desenhos da Prisão


(Poema de Pablo Neruda em homenagem a Álvaro Cunhal e outros companheiros de cárcere)




LA LÁMPARA MARINA

PORTUGAL,
vuelve al mar, a tus navíos, 
Portugal, vuelve al hombre, al marinero,
vuelve a la tierra tuya, a tu fragancia,
a tu razón libre en el viento,
de nuevo
a la luz matutina
del clavel y la espuma.
Muéstranos tu tesoro,
tus hombres, tus mujeres.
No escondas más tu rostro
de embarcación valiente
puesta en las avanzadas del Océano.
Portugal, navegante,
descubridor de islas,
inventor de pimientas,
descubre el nuevo hombre,
as islas asombradas,
descubre el archipiélago en el tiempo.
La súbita
aparición
del pan
sobre la mesa, 
la aurora,
tú, descúbrela, 
descubridor de auroras.

Cómo es esto?

Cómo puedes negarte
al cielo de la luz tú, que mostraste
caminos a los ciegos?

Tú, dulce y férreo y viejo,
angosto y ancho padre
del horizonte, cómo
puedes cerrar la puerta
a los nuevos racimos
y al viento con estrellas del Oriente?

Proa de Europa, busca
en la corriente
las olas ancestrales,
la marítima barba
de Camoens.
Rompe
las telarañas
que cubren tu fragante arboladura,
y entonces
a nosostros os hijos de tus hijos,
aquellos para quienes
descubriste la arena
hasta entonces oscura
de la geografía deslumbrante,
muéstra-nos que tú puedes
atravesar de nuevo
el nuevo mar escuro
y descubrir al hombre que ha nacido
en las islas más grandes de la tierra.
Navega, Portugal, la hora
llegó, levanta
tu estatura de proa
y entre las islas y los hombres vuelve
a ser camino.
En esta edad agrega
tu luz, vuelve a ser lámpara:

aprenderás de nuevo a ser estrella.


Pablo Neruda, Las uvas y el viento, 1954


Para que a Memória nunca esqueça...

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Maio Maduro Maio / Deram-nos uma Punhalada

Recordar é Viver
Nesta noite dou comigo a relembrar tempos em que Sonhar era caminhar para o Futuro. Foi assim em Abril e acreditar que Maio era mais um passo para a Mudança... por isso dei comigo a ver esta fotografia feita no calor de um Sonho, a recordar os Sonhos que nesses meses se tentaram concretizar.


Sem palavras, deixo-vos estes dois poemas da Helena Guimarães. Um que nos fala do Maio, das flores, da esperança, da liberdade, dos cravos, das armas, duma revolução que foi sonhada:





MAIO MADURO MAIO


Maio, mês das flores
da esperança, dos amores,
Maio do meu País,
que viveu alegre e incauto
a pensar que a liberdade
tinha sido conquistada,
com cravos e armas caladas.
Direito ao trabalho e ao pão.
Não se faz assim uma Revolução!
Deixaram crescer no ventre
com bonomia crescente
o polvo que nos matou.
Humilhados os herois
que nos consideraram gente
somos escravos do mundo
e de uma seita maldita
que, hoje, nos desacredita,
insensível, nos espolia,
com máscara de honradez.
Num estouvado messianismo
sacrificamos os jovens
como no sebastianismo
o fizemos em Fez.
Maio do meu País
com o céu a chorar por nós.
Maio com o Povo a passar fome.
Não há maduros trigais
nem cravos a florir.
E não há já ideais.
Preferimos as promoções
a lutar contra os ladrões.
Maio da desesperança
do medo e da contradança.
Um País em contramão
à espera de solução!

Helena Guimarães - 5 de Maio 2012



O outro poema, Deram-nos uma Punhalada, é o retrato do país, do momento, de um povo reprimido, manso, ignorante, sujeito a voracidade do capitalismo global:


DERAM-NOS UMA PUNHALADA

Deram-nos uma punhalada
e por essa ferida se esvai
o sangue de um País.
Vão-se os filhos para fora
dar o poder do seu braço,
do cérebro e do abraço
a povos que nem conhecem:
vai-se a família, desfeita,
sem tempo, em ansiedade;
choram as crianças á míngua
do pão a que têm direito
do colo, da afeição,
direitos de um cidadão
na sua pátria raiz;
Vai-se a nossa matriz
de portugueses inteiros
da História outrora primeiros;
Vão-se as nossas empresas
vendidas a um tostão
num espoliar sem sentido
e o povo reprimido
manso e ignorante
luta com as reservas
o seu regresso às trevas,
abrindo os bolsos rotos
à ganância e aos arrotos
dum capitalismo global.
Deram-nos uma punhalada
e por essa ferida se esvai
o sangue de um País!

Helena Guimarães – 5 de Maio 2012


Obrigado, Helena, por estes teus poemas.

Um abraço,
José Gomes

sexta-feira, 4 de maio de 2012

A Poesia em 5 de maio 2012...


A pedido do Movimentum - Arte e Cultura lembro que amanhã, dia 5 de Maio de 2012, haverá duas actividades para as quais peço a divulgação e se, possível, a vossa participação:

1 - Pelas 15,30 horas, na Casa de Cultura de Paranhos, no Porto: Sessão de Poesia que terá como tema "A Poesia de Fernando Peixoto".
Apareçam!

2 - Ás 21,30 horas, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Vermoim, "Noites de Poesia em Vermoim", com o tema MAIO MADURO MAIO.
Apareçam!

Um abraço,
José Gomes