quinta-feira, 19 de abril de 2012

António Aleixo, sempre actual

Estátua de António Aleixo em Loulé


António Aleixo é considerado um dos poetas populares de maior relevo, famoso pela sua ironia e pela crítica social sempre presente nos seus versos.
António Aleixo é recordado por ter sido simples, humilde e, apesar de semi analfabeto, ternos deixado como legado uma obra poética singular no panorama literário português da primeira metade do século XX.
(in Wikiédia)


Com os meus agradecimentos ao Gaspar pelo email enviado, deixo-vos com estas cinco quadras do poeta Aleixo, sempre actuais:


Acho uma moral ruim
trazer o vulgo enganado: 
mandarem fazer assim 
e eles fazerem assado. 


Sou um dos membros malditos 
dessa falsa sociedade que, 
baseada nos mitos, 
pode roubar à vontade. 


Esses por quem não te interessas 
produzem quanto consomes: 
vivem das tuas promessas 
ganhando o pão que tu comes. 


Não me dêem mais desgostos 
porque sei raciocinar... 
Só os burros estão dispostos 
a sofrer sem protestar! 


Esta mascarada enorme 
com que o mundo nos aldraba, 
dura enquanto o povo dorme, 
quando ele acordar, acaba. 


António Aleixo

Sem comentários:

Enviar um comentário