terça-feira, 8 de março de 2011

Para ti, Mulher, neste teu dia.


Quero render uma sincera e humilde homenagem a todas as Mulheres. Por isso escolhi este soneto de FLORBELA ESPANCA e com ele saúdo a MULHER em toda a sua expressão de beleza, os seus sentimentos, o seu espírito de luta, a sua firmeza e a sua abnegação.

                 A Mulher

Ó Mulher! Como és fraca e como és forte!
Como sabes ser doce e desgraçada!
Como sabes fingir quando em teu peito
A tua alma se estorce amargurada!

Quantas morrem saudosa duma imagem.
Adorada que amaram doidamente!
Quantas e quantas almas endoidecem
Enquanto a boca rir alegremente!

Quanta paixão e amor às vezes têm
Sem nunca o confessarem a ninguém
Doce alma de dor e sofrimento!

Paixão que faria a felicidade.
Dum rei; amor de sonho e de saudade,
Que se esvai e que foge num lamento!





3 comentários:

  1. Obrigada pela partilha!
    Um beijo grande.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, Paula, pelo comentário. Tem um bom dia hoje e um resto de semana muito agradável. Um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Manuela Carneiro11/3/11 12:26

    Querido amigo,
    Agradeço a homenagem com a escolha deste belo poema!
    Bjis

    ResponderEliminar