sábado, 16 de janeiro de 2010

Não Passarão - MT

Na sexta-feira passada tinha tudo planeado para ir à Sessão de Poesia no Flor de Infesta. Mas o tempo prega-nos uma partida e acabei por, mais uma vez, não poder ir...

Dos poemas que escolhi para lá dizer destaco este de Miguel Torga que me fora enviado pelo GM, que muito agradeço.
Nem a propósito esta contestação da Mafalda...



NÃO PASSARÃO

Não desesperes, Mãe!
O último triunfo é interdito
aos heróis que o não são.
Lembra-te do teu grito:
Não passarão!

Não passarão!
Só mesmo se parasse o coração
que te bate no peito.
Só mesmo se pudesse haver sentido
entre o sangue vertido
e o sonho desfeito.

Só mesmo se a raiz bebesse em lodo
de traição e de crime.
Só mesmo se não fosse o mundo todo
que na tua tragédia se redime.

Não passarão!
Arde a seara, mas dum simples grão
nasce o trigal de novo.
Morrem filhos e filhas da nação,
não morre um povo!

Não passarão!
Seja qual for a fúria da agressão,
as forças que te querem jugular
não poderão passar
sobre a dor infinita desse não
que a terra inteira ouviu
e repetiu:
Não passarão!

Miguel Torga


Uma boa semana, meditando neste poema de Torga.

Um abraço,

José Gomes