segunda-feira, 25 de junho de 2007

A Rosalia de Castro


Canção de Ninar
Para Rosália de Castro, Morta

Ergue-te, minha amiga,
Que já cantam os galos do dia!
Ergue-te, minha amada,
Porque o vento muge como uma vaca!

Os arados vão e vêm
De Santiago a Belém.

De Belém a Santiago
Um anjo chega num barco.
Um barco de prata fina
Trazendo a dor de Galícia.

Galícia deitada e queda
Transida de tristes ervas.
Ervas que cobrem teu leito
E a negra fonte dos teus cabelos.
Cabelos que vão ao mar
Onde tem as nuvens ninho pombal!

Ergue-te, minha amiga!
Que já cantam os galos do dia!
Ergue-te, minha amada
Porque o vento muge como uma vaca!

Frederico Garcia Lorca



4 comentários:

  1. Grande escolha Amigo, grande escolha.

    Um Abraço e Bom Fim de Semana

    ResponderEliminar
  2. Rosalia, Rosalia...
    Fico sem palavras quando ouço esta canção...

    ResponderEliminar
  3. Venho aqui nomear-te como "blog ativista", passa no meu blog e retira o banner para colocares no teu.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo1/7/07 21:03

    Olá Zeca!
    Que bom teres lembrado desta querida Poeta!!!
    É claro que me comove Federico G.Lorca, mas sabes que tenho com ela uma relação especail!

    Um beijo Zé e Obrigada.

    Maria Mamede

    ResponderEliminar