quarta-feira, 7 de março de 2007

Aqui Planeta Terra!...

Atenção, senhores passageiros:

Lamentamos informar que neste momento estamos a navegar pelo universo a bordo da nave Terra que está a inspirar cuidados cada vez maiores em todos os passageiros.

Tecnicamente estamos à deriva, mas não há motivos para entrar em pânico.

Ainda é possível restabelecer as condições de voo, desde que todos colaborem - especialmente os passageiros da primeira classe!

O fumo lançado para o ar pelos mais ricos fez aumentar a temperatura desta nave em 0,6º C no último século.

Se mantiver este ritmo, chegaremos ao final do século com um aumento de temperatura na ordem de um a seis graus centígrados.

O nosso sistema de refrigeração não é capaz de enfrentar este aquecimento global.

Tecnicamente estamos à deriva, mas não há motivos para entrar em pânico.

É importante lembrar a situação do passageiro norte-americano que está sentado na primeira fila. Se todos a bordo quiserem imitar os hábitos de consumo dele, não teremos água, alimentos e energia para seguir viagem.

E não adianta reclamar, mister Bush!

Outra coisa: já não há água limpa suficiente para todos. Ou evitamos o seu desperdício, distribuindo melhor a que resta, ou vamos ter sérios problemas daqui para a frente.

Lembramos, também, que estamos a dividir este espaço com outras formas de vida que chegaram antes de nós e que estão a desaparecer rapidamente, a uma velocidade dez mil vezes maior do que antes da nossa chegada.

Cada um de nós, nesta nave, tem uma função. Por isso, cada espécie animal ou vegetal extinta vai produzir impactos importantes no equilíbrio da vida.

A distribuição dos passageiros pela nave dá-se de forma desigual. Quase metade dos lugares é ocupada por passageiros que sobrevivem com apenas dois dólares por dia.

Pedimos desculpa pelas péssimas condições de viagem desse grupo, mas a culpa não é da nave.

Estamos equipados com recursos suficientes para que todos façam uma viagem tranquila, sem agonia ou sofrimento. Se a distribuição dos recursos não se der de uma forma satisfatória, o problema é de quem se apossou de muito mais do que precisa, sem prestar atenção para o que acontece à sua volta.

Registamos com desgosto que 800 milhões de passageiros se encontram subnutridos e 24 mil morrem todos os dias por causa da fome.

A nave é de paz, mas alguns passageiros não. Percebemos, constrangidos, que os gastos crescentes com a indústria bélica seriam mais do que suficientes para resolver o problema da fome.

É importante frisar que a nossa nave não dispõe de saídas de emergência nem há outra opção para os passageiros a não ser permanecer aqui.


De design arrojado e semblante azul, a nossa nave foi concebida para ser o mais aconchegante abrigo do universo. Por isso pedimos a atenção de todos os passageiros para o burburinho que está a acontecer no Médio Oriente, onde todos os assuntos tratados são urgentes e do nosso interesse.

Agradecemos a boa vontade de todos em discutir o plano de voo que seguiremos daqui para a frente.

Lembramos que a responsabilidade é compartilhada e que todos contribuímos em maior ou menor grau para o sucesso desta viagem.

Muito obrigado pela vossa atenção!



Adaptação e actualização do PowerPoint de Ria Slides, “La nave va”.

Música escolhida: tema do E.T.


José Gomes




6 comentários:

  1. Excelente post!
    Parabéns pela chamada de atenção ao meio ambiente, nunca é demais!
    beijos

    ResponderEliminar
  2. Estamos à deriva e pode-se dizer que , se não tivermos cuidado, todo este processo desenfreado de destruição da Terra será irreversível.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Mais do que a revolta nas palavras, fica-nos a revolta nas entranhas por tanta mediocridade que há muito a esta parte tem vindo a conduzir os destinos deste pedaço de terra ao pé do mar plantado...

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Correcção: ao pé do universo plantado..

    (lapso de tanto se dizer ao pé do mar)

    ResponderEliminar