domingo, 21 de janeiro de 2007

A Elis Regina...


É necessário continuar a viver e não me deixar soterrar pelo que aconteceu. Será bom para mim, para os meus e, principalmente, deixar o meu Pai fazer a sua caminhada…

A minha homenagem a Elis Regina que partiu no dia 19 de Janeiro de 1982…

Elis Regina

17/3/1945 - 19/1/1982

Elis Regina de Carvalho Costa nasceu em Porto Alegre no dia 17 de Março de 1945.

Começou a cantar com 7 anos, aos 13 anos assinou contrato com a Rádio Gaúcha, de Porto Alegre e aos 15 anos gravou o seu primeiro LP intitulado ''Viva a Brotolândia''.

Tornou-se conhecida em 1965, ao sagrar-se vencedora do I Festival de Música Popular Brasileira da TV Excelsior, defendendo a música "Arrastão", de Edu Lobo e Vinicius de Moraes.

Gravou, depois, "Dois na Bossa" ao lado de Jair Rodrigues e com tal êxito que nos anos seguintes foram lançados os volumes 2 e 3.

Foi uma das mais importantes cantoras da música popular brasileira, desenvolvendo uma carreira de sucesso que se estendeu de 1965 a 1981.Uniu a técnica e o perfeccionismo, presentes em suas gravações, à emoção e energia, típicas das suas apresentações.

Na sua carreira, lançou diversos compositores como Gilberto Gil, Milton Nascimento, Renato Teixeira, entre outros.

Participou em festivais e movimentos político-musicais, como a "Marcha contra as guitarras", ao lado de Gilberto Gil e outros artistas, que visou a preservação das "raízes" da MPB contra a invasão da música estrangeira.

Participou activamente na campanha pela amnistia política dos exilados brasileiros.

Saliento, da sua carreira musical, as composições que mais me marcaram: "Upa, Neguinho" (Edu Lobo/ G. Guarnieri), "Águas de Março" (Tom Jobim), "Ponta de Areia" (Milton Nascimento/ Fernando Brant), "Folhas Secas" (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) e "Romaria" (Renato Teixeira).

Depois da sua morte, em 1982 (com 36 anos de idade!), devida a uma overdose, foram editados discos seus com gravações inéditas e colectâneas.

Os seus filhos João Marcelo, Pedro Camargo e Maria Rita enveredaram pela carreira musical.

---------------------------------------

Deixo-vos com “Romaria”, na voz da Elis Regina, graças à colaboração da Pequenina Poesias - http://www.pequeninapoesias.com.br/

José Gomes

10 comentários:

  1. Olá Zé!
    Que bom escutar de novo a Elis, na sua voz inesquecível...
    Que linda nesta fotografia!
    Obrigada pela recordação.
    Beijossss

    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  2. Bela homenagem. Ainda hoje gosto muito de Elis Regina.)
    Quanto ao teu pai, deixa-o voar:)
    beijos

    ResponderEliminar
  3. O seu pai está, a estas horas, no "país das caçadas eternas". Vejo-o a correr a pradaria verdejante montado no lombo de um lindo cavalo baio!...
    Olha, olha!... Encontrou-se com a Elis e pediu-lhe para cantar uma musiquinha!... "upa, neguinho!"

    ResponderEliminar
  4. A grande Elis numa canção que me faz ficarem os meus olhos turvos. Boa recordação. Quanto ao teu Pai eu acredito num reencontro e que ele está em Paz.
    Jinhos

    ResponderEliminar
  5. Sinto muito pela morte do teu pai, mas com 94 anos teve uma vida longa...
    E teve a sorte de partir sem sofrer, se foi como contas.
    Em relação à Elis, que eu adoro, lembro-me bem dela ter morrido, mas estava convencida que tinha sido em Junho ou Julho.
    Tens mesmo a certeza dessa data?
    bjs

    ResponderEliminar
  6. Obrigado, "Saltapocinhas" pelas tuas palavras.
    Em relação à Elis as datas estão certas (pesquizei, agora na Net e confirmo as datas).Mas, mesmo assim, obrigado por me teres chamado a atenção.
    Uma boa semana.
    Um beijo.
    JG

    ResponderEliminar
  7. Elis,um prazer ouvi-la. Sempre!Em qualquer circunstância. Boa escolha! Quanto aos filhos, o provérbio aplica-se: filho de peixe sabe nadar.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  8. ola ze
    sabes que eu vi a ultima entrevista dela com o julio isidro?
    vi
    abraço da leonoreta

    ResponderEliminar