sábado, 23 de setembro de 2006

O Outono na alma

" Outono" (foto de Milú Coelho Gomes)


Hoje, sábado, começa o Outono…



O Outono na alma

Chegou o Outono. Há muito que nas folhas mortas dos carvalhos se fazia anunciar.
Chegou agora, acabado o Estio, a toda a paisagem.
A natureza mostra-se amarelecida e doente, produzindo um cenário clorótico, neutralizado e triste que nos deprime e nos amarelece também um pouco por dentro.


É inevitável esta sensação. Foi sempre assim!
Cumpre-se um ciclo biológico e não há nada a fazer. Faz parte da nossa natureza. É normal.


O que não é normal, e contraria a própria natureza, é este quase crónico estado de alma outoniça em que há muito mergulhamos: um estado de alma anémico, sem força, sem vontade e sem revolta que não tem nada a ver com a cíclica sensação outonal.

Não! Este estado de alma é um fenómeno civilizacional. Chamemos-lhe civilizacional ou chamemos-lhe neoliberalismo, capitalismo… pouco importa o que se lhe queira chamar. O processo tem sido contínuo! Uma bem ministrada cultura de resignação amareleceu-nos a mente e faz com que nos comprazemos, silenciados, neste inanismo mental.

Aceitamos tudo desde que não nos exijam nada.

Cortam a reforma... — não dizemos nada!
Fecham as empresas... — calamo-nos!
Reduzem os cuidados de saúde... — não dizemos nada!

Pobres de nós! Sem coragem nem lucidez crítica aceitamos tudo.

Habituaram-nos a dizer que sim — e nós dizemos!
Revemo-nos na "escol" política abstendo-nos de agir e de pensar. E é de nós mesmos que nos abstemos…

Decaímos. Amarelecemos por dentro, como se vivêssemos num Outono continuado. Só que o Outono nem é continuado, nem é abdicação! É húmus donde vai surgir vida, flor e fruto.

Nós, ao contrário, parece que escolhemos a abdicação como modo de vida para viver... — até quando?

José Silva

*******************

Este texto foi-me enviado por este amigo e tenho muito prazer em transcrevê-lo no blogue, apesar da sua expressão: “Ó pá isto serve-te para alguma coisa?

Zé Silva, penso que não só serve para mim mas também para muita mais gente que, como tu, vive e sente os problemas que nos rodeiam.

Obrigado, Zé Silva.

*****************

Como acompanhamento musical escolhi um cantor que tu e eu admiramos muito: ZECA AFONSO.

A sua "Balada de Outono" dá o tom a este teu artigo.

*********************



19 comentários:

  1. É mesmo como o teu amigo José Silva escreveu:((((
    A fotoda Milú está linda!:
    beijos

    ResponderEliminar
  2. É o que diz o teu artigo, para tudo nos calamos...
    No entanto penso que urge a hora de deixarmos de estar calados e tentar fazer alguma coisa.
    Isto está a chegar ao ponto de saturação, não dá mais para calar a voz...
    Lutaremos!
    Boa escolha musical meu amigo.
    Um abraço e Bom Fom de Semana

    ResponderEliminar
  3. B'dia Zé :)
    Pessoalmente o Outono- estação não e entristece nem amarelece. Adoro o evoluir da vida com as estações, delicio-me como k cada uma nos traz como ofeta em beelza e riquza alimentar. De resto penso k não me deixo amarelelcer muito, mas confirmo k cada vez mais dou por mim pensando: "não vale apena".
    adfinal o amarelecimnto (por mim é + apodrecimento pq adoro o amarelo (cor) civilizacional vai fazendo seus estragos.
    Bom f.s para vocês e autor do texto. Bjs.
    luz e paz em vosso caminhar

    ResponderEliminar
  4. O Outono chegou mas parece que já se faz sentir há muito tempo com o cair das folhas...
    Esta VIDA também continua sempre em "Outono", com tantos problemas sociais, e muitas coisas como todos sabemos...
    A voz de Zeca Afonso brilha nestes "Chuviscos"...
    Um bom fim de semana.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  5. ola ze.
    pois ca estou eu na minha cidade a renascer. que fazer? é o meu sitio.
    a foto é linda. parabens á milu. o texto optimo. parabens a ti. de resto, é comum o portugues comer e calar. eu nao. quando quero bato o pé. desgasto-me. mas geralmente consigo o que quero. nao pude passar pelo movimentum. a semana foi de arrasar.mas passarei.

    abraço da leonoreta

    ResponderEliminar
  6. Que verdades o teu amigo escreveU! De k serve??? serve semprre!! nem k seja para nos fazer pensar!!!

    Ahhh... e a nossa alma que esteja sempre recheada, não so De Outonos e, mas 4 estações! um beijo grande para ti

    ResponderEliminar
  7. Olá Zeca!
    Que bom voltar e deparar com estas coisas belas e verdadeiras...
    Amo o Outono e com ele as estações todas, por isso não me importa que as folhas amareleçam; no entanto importa-me e muito o que vai acontecendo, embora ache que passados os anos de força viçosa para todas as lutas, agora, no outono da vida, hora de outro tipo de lutas, (minha, tua, nossa);
    Resta-nos, a meu ver, transferência de experiências, de histórias, de conhecimentos e que nesta nossa "passagem de testemunho" os jovens possam ganhar forças para as suas lutas.
    Parabéns à Milú e para ti, claro.
    Beijos

    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  8. Comentário do José Silva a alguns comentários aqui proferidos:

    Não é de espantar mas é pena constactar pelo conteúdo dos comentários onde se lê - "não vale a pena" "passagem de testemunho" - que os respectivos autores de tão amarelecidos já caíram.
    E é pena porque nos dão conta de vidas que perderam o brilho da vida. Envelheceram.
    Deixaram de sentir o apelo de vida sem fim que convoca os sonhos e as utopias capazes de nos dar ânimo indispensável e sempre renovado para resistir a esta Maldita Ordem Mundial à qual nos querem fazer crer que temos que nos assujeitar per omnia saeculo saeculorum.
    Que pena!
    José Silva

    ResponderEliminar
  9. Vale sempe a pena alguem nos nos espevita as mentes adormecidas , parecemos pequenas marionetas comandadas, sem nada fazer para contrapor,agora o Outono é everdade como isso me influencia, não sei viver sem sol
    bom domingo

    ResponderEliminar
  10. Zes, tu e o Silva (o meu teclado t]a com problemas)Uma das coisas que mais me aflige eh a absten;\ao, o amorfismo, o deixa andar, lermos as not]icias e n\ao sentirmos a indigna;\ao. O escandalo jah nao o eh. Ficamos impavidos e serenos ao tomarmos conhecimento das palha;adas das nomea;\oes vital]icias, enfim...nem no outono estamos mas no mais frio e cinzento inverno...

    Adorei a foto e do Outono da M\ae Natureza eu gosto, dos dias ainda suficientemente longos, mas os ser\oes a chamarem j]a para o acender da lareira, as cores douradas das parras nas videiras ainda por vindimar.

    Beijinho e obrigada pela tua visita ao Mulheres de Atenas

    ResponderEliminar
  11. Pois é, Zé! E o Zé Silva tem razão!
    Que todos lutemos,cada um à sua maneira, para que o Outono não se instale definitivamente em nós e que os jovens saibam enfrentar e minorar o cinzentismo que nos rodeia.
    Um bjinho para vocês e uma boa semana

    ResponderEliminar
  12. Também gosto muito de Zeca Afonso e qualquer post por ele acompanhado ainda mais valorizado fica.
    Quanto ao nosso estado outonal digo-lhe que me parece endémico pois que há muito tempo que andamos cinzentos e sem capacidade de regeneração.
    E o processo de coloração da alma de um povo é muito difícil!
    Pobrezinhos,tristes e indiferentes.
    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Hoje o Poesia faz um ano.
    Um ano inteiro dedicado à Poesia de autores de Blogues, em que tu és também participante.

    Por isso o meu obrigada e o meu abraço ;)

    Poderás ver a publicação nesta página:

    http://portuguesapoesia.blogspot.com/2005_12_01_portuguesapoesia_archive.html

    ResponderEliminar
  14. vim deixar-te um beijinho.... :-)

    ResponderEliminar
  15. Zeca afonso.. a minha mae foi amiga dele e desde sempre acompanhei estas músicas da alma...qto ao mundo.. é impressionante como tudo continua a andar ao sabor do vento.. até ele deixar de existir tb..

    ResponderEliminar
  16. De há uns tempos para cá comentava os vossos comentários. Porque este texto não é da minha autoria, resolvi - como já o fez! - deixar com o Zé Silva a responsabilidade de comentar o que ele pensar dos... comentários!
    Vamos lá a isso, Zé, que até domingo vou escrever novo artigo.
    Um abraço para todos e um bom fim de semana.
    José Gomes.

    ResponderEliminar
  17. Um email do Zé Silva para rematar este post:
    -------------

    Muito rapidamente. Estou muito ocupado. Desculpem.

    Esta invenção chamada "blogosfera" é fantástica.
    Pena é que seja usada de forma tão pouco aprofundada e medíocre.
    Nestes tempos que correm onde há tanta coisa a dizer sobre a paz, a guerra, a fome, a cultura, a cidadania . . . . . . . .
    servirmo-nos deste moderníssimo meio de comunicação que nos faz estar presente, quase instantâneamente, praticamente em todo o mundo, para dar recadinhos ou dizer palermices sem conteúdo nenhum, é uma obscenidade.
    Acho que muita da "blogosfera" está transformada numa espécie de cidadela onde muitos se meteram apenas para satisfazer o seu ego narcísico, mesquinho e doentio.
    É pena!
    Por agora é-me impossível mas, gostava de voltar ao assunto. E vocês?
    José Silva

    ResponderEliminar
  18. Meu querido José Gomes,
    até que enfim te consegui encontrar de novo.
    E que bom é voar de novo por aqui ao som desta mágnifica voz, destas sábias palavras que nos fazem reviver.
    Deixo-te o meu abraço carinhoso e a promessa de que te vou guardar mto bem para não te perder mais.

    ResponderEliminar
  19. ola ze. ainda bem que o meu texto te fez sorrir. creio que é o mais importante nesta vida. nunca perder o sorriso. faço os possiveis por mante-lo mas de vez em quando por minha causa ou por causa da humanidade ele vai-se.
    abraço da leonoreta

    ResponderEliminar