segunda-feira, 5 de junho de 2006

DIA MUNDIAL DO AMBIENTE



"Bailado" - Junho 06 - Maria Lourdes Gomes


Não importa qual é a sua profissão, origem, classe social, sexo ou cor.
É necessário reflectir-nos sobre a nossa relação entre o meio ambiente e os nossos hábitos, pensando em termos de passado e futuro, de maneira a preservar a nossa qualidade de vida.
Pense nisto! … A sua atitude pode fazer um mundo de diferença.


ALGUNS PROBLEMAS AMBIENTAIS ...

1 – Efeito de estufa – Camada de gases de estufa que envolvem o Planeta (deixam entrar o Sol mas não deixam sair o calor), provocando o aquecimento da superfície terrestre. (As principais causas deste fenómeno são a combustão dos combustíveis fósseis, nomeadamente o carvão e o petróleo).

2 – Buraco na Camada de Ozono – A Camada de Ozono funciona como um filtro impedindo que as radiações ultravioletas atinjam a superfície terrestre.
Estes buracos na Camada de Ozono acentuaram-se mais com a produção e utilização em massa (mundialmente) de frigoríficos, arcas congeladoras, sprays, ar condicionado, etc., que usaram como gás refrigerante o CFC (CloroFluoretoCarbono).
Embora de há uns anos para cá esse gás fosse substituído por outro “amigo do ambiente”, a sua permanência nefasta durará, pelo menos, 50 anos.
Daí o aumento das doenças como o cancro da pele e também a sua contribuição para o “efeito de estufa”.

3 - Desflorestação - As florestas continuam a ser sacrificadas às exigências do Homem, nomeadamente na urbanização, indústria e agricultura.
Até à presente data mais de 50% das florestas mundiais foram cortadas para fins agrícolas. Os efeitos desta desflorestação são diversos:

- Tem uma consequência ecológica significativa ao reduzir o reservatório de carbono armazenado na biomassa;

- Contribui para reforçar o efeito de estufa, na medida em que o aumento de emissões de CO2 deixa de ser compensado;

- Empobrece a biodiversidade, pois calcula-se que 2/3 das espécies de plantas e animais do mundo vivem nas florestas tropicais húmidas;

- Acelera a desertificação, pois os solos florestais são frágeis e tornam-se rapidamente improdutivos em resultado da agricultura intensiva e da pastorícia extensiva;

- Altera o ciclo da água, visto que uma grande parte do vapor de água que existe na atmosfera é proveniente principalmente das florestas húmidas;

- Ameaça a sobrevivência dos povos nativos que vivem nas florestas.

Estes são alguns dos problemas que devemos começar a pensar e tentar encontrar rapidamente uma solução.


Para ajudar nesta reflexão deixo-vos com a:

Carta aberta ao Planeta Terra

Olá Mãe Terra ,

Apesar de eu morar nesta tua casa que, gentilmente, puseste à minha disposição nunca te escrevi ou falei contigo para reclamar ou agradecer a tua hospitalidade.

Até agora pensava que eras mais que um monte de terra sem qualquer sentimentos.

Passados todos estes anos é que me apercebo que não tive tempo para te agradecer tanta beleza que tu, Mãe Terra, puseste à minha disposição.

Não me podes culpar pela minha indiferença, pois foi assim que me ensinaram a olhar para ti.

As lixeiras que fizemos, as pessoas a cortarem sem dó nem piedade as tuas árvores, a destruição dos frutos, as queimadas desordenadas das florestas, a falta de cuidado com que sempre tratamos os mares, os rios, os lagos, as nascentes...

Mãe Terra, hoje eu sei – ou melhor! – sinto que algo mudou dentro de mim!

Agora apercebo-me a verdadeira Mãe que tens sido para mim, dás-me sempre e na altura própria tudo aquilo que preciso. Nunca me faltaste com água, ar e comida.

Quando falo em “água” o meu coração até dói! Como foi possível que nós, teus filhos, pudessemos te ter tratado assim ão mal!!!?

Acredito, Mãe Terra, que tu estás bem viva e consciente e que sabes que nós, humanos, não só estamos a destruirmo-nos como também estamos a tentar arrastar-te para o abismo em que acabaremos por cair.

Sinto a humanidade como um tumor cancerígeno que terás qualquer dia de tratar ... sem quimioterapias, sem operações, sem radioterapias...

Mãe Terra tu, como geradora do Amor que faz brotar a Natureza renovada em cada Primavera, não achas que já chegou a altura de aplicares a Terapia do Amor nestes teus filhos antes que eles desapareçam como espécie? ... aquela espécie que tu acarinhaste com Amor durante tantas e tantas vidas?

Mãe Terra, ou Gaya (como eu gosto de te chamar), vou terminar esta carta aberta, agradecendo-te a beleza que me dás todas as manhãs quando acordo, a humildade dos animais que beijam as tuas flores e o perfume que imana de todo o teu ser.

Agradeço-te o ar que respiro, o chão que piso, as árvores que me dão a frescura nos dias de sol, as sementes que me dão o pão do dia a dia, o verde que dá frescura e o alimento não só para mim mas também para os animais meus irmãos, as águas dos mares que me dão o peixe de que me alimento e o ar que purifica tudo em meu redor, os rios que me dão as estradas que preciso, as fontes que me matam a sede, a terra fértil que me dá tudo aquilo que preciso...

Para terminar, Mãe Terra, deixa-me agradecer-te com todo o meu carinho, deixares-me viver nesta tua Casinha Azul.


José Gomes
----------------------------
"Blowin' In the wind"
Bob Dylan & Joan Baez
----------------------------

13 comentários:

  1. Por motivos alheios à minha vontade, as fotografias não estão como me deu o "preview". Para cúmulo, há problemas com o blogger, e não me deixa safar as fotos nem rectificá-las.
    Espero que amanhã acorde de melhor humor (o blogger, claro!) e me deixe fazer as alterações que preciso.
    Deculpa lá, Milú.

    ResponderEliminar
  2. Muito bom este post! beijos

    ResponderEliminar
  3. Não era bem isto que queria fazer com as fotos...
    Fiz batota, pois apagando as fotos, não aceita mais as mesmas...
    quem é que ne ensina, neste blog, a colocar fotos lado a lado?

    ResponderEliminar
  4. Eu nunca coloquei, mas vou fazer a experiencia no meu. Penso que tens de diminuir o tamanho da imagem...
    Eu depois digo alguma coisa...
    O texto está muito bom!
    Um abraço a todos ;)

    ResponderEliminar
  5. querido josé,

    infelizmente, não posso ajudá-lo

    vejo-me graga para postar fotos no meu e como nem sei dar espaços, uso asteriscos, imagine

    o que me vale é que toda a gente acha piada e até já dizem que é a minha imagem de marca

    um grande beijinho para si

    alice

    ResponderEliminar
  6. "brigado", mesmo assim, pela ajuda... experimentando vou-me desenrascando...<:o)
    Oh Alice, essa dos "***" não lembrava a ninguém, ihihih!!! Mas olha que postar as fotos é fácil.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  7. "ontem dei por mim a passar por ti, não vou dizer aonde, estavas de costas, viravas a cabeça, vias-me pelo canto do olho e algo nas cores da roupa te cambiava o tom do olhar, sorrias a meio da boca, torcias os lábios, nada dizias, eu parada na montra a decifrar as mensagens dos carros a passar no vidro, tão depressa, tão inútil, tão arrepiada na curva das pernas onde o teu olho bicudo furava, tão depressa, tão profundo, só a paragem do metro testemunha, e os sacos das compras encostados, asas de plástico no meio de nós, não te lembras?"

    beijinhos,

    alice

    ResponderEliminar
  8. Olá Zeca!
    Gostei muito do texto.
    Obrigada a Ti e à Mãe Terra!!!
    AMEI a música, claro.
    Beijossssssssssssssssssssss

    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  9. Vim em busca de novo texto, mas reli este com enorme prazer! Está excelente. Grata pela partilha.

    Um abraço

    (não vão ao almoço do Orlando, do Letras com Garfos no dia 17? Ainda não vi a vossa inscrição...)

    ResponderEliminar
  10. Esta terra tão amada e
    Pelos filhos desprezada
    Os mesmos que a ferem
    de prazer com a enxada
    na semente germinada
    ou na ponta do fogo
    para deleite no logro
    sem respeito por si
    perdem-se como areia no chão
    levada pelo vento em safanão
    derrotam-se
    a mim e a ti
    no desprezo de si.

    Abraços Zé

    Luís

    ResponderEliminar
  11. olá josé gomes,

    espero que esteja tudo bem consigo

    um grande beijinho para si

    saudades,

    alice

    ResponderEliminar