segunda-feira, 27 de março de 2006

Ser Pobre...

Sinfonia à beira-rio... Março 06

Há dias recebi um e-mail que achei com uma certa profundidade e resolvi transformá-lo no post que vou começar, agora, a escrever…

O mail dizia “Pára um pouco e medita…!” e tinha como título:

O que é ser pobre

Um pai, bem na vida, querendo que o seu filho soubesse o que é ser pobre, levou-o a passar uns dias com uma família de camponeses.

O menino viveu a vida do campo durante 3 dias e 3 noites.

Findo aquele período de experiência o pai foi buscá-lo.
Na viagem de regresso à cidade, o pai perguntou-lhe:

- Como foi tua experiência?

- Muito boa! – respondeu-lhe o filho, com o olhar perdido na imensidão da natureza que ia ficando para trás.

- E o que é que tu aprendeste? - insistiu o pai.

O filho respondeu:

- Tanta coisa linda, pai! Olha, nós temos um cão e eles têm quatro. Temos uma piscina com água tratada, que chega até metade do nosso quintal e eles têm um rio de águas cristalinas, a perder de vista, com peixes e outras belezas. Nós compramos candeeiros que vêm do Oriente para iluminar o nosso jardim, eles têm as estrelas e a lua para os iluminar. O nosso quintal chega até ao muro e o deles toca o horizonte. Nós compramos a nossa comida, já feita, e eles cozinham-na. Nós compramos Cd's para ouvir música... eles ouvem uma sinfonia de pássaros, periquitos, sapos, grilos e outros animaizinhos... e às vezes acompanhada pelo cantar de um vizinho, enquanto trabalha a terra. Nós temos o microondas para cozinhar. Tudo o que eles comem tem o sabor do fogão a lenha. Para nos protegermos vivemos rodeados por um muro, portas bem trancadas à chave e ainda temos alarmes... Eles vivem com as portas abertas, protegidos apenas pela a amizade dos vizinhos. Nós vivemos agarrados ao telefone, ao telemóvel, ao computador, à televisão… Eles estão ligados à vida, ao céu, ao sol, à água, ao verde do campo, aos animais, às suas sombras, à sua família…

E terminou, agradecendo:

-
Obrigado, meu pai, por me teres ensinado o quanto somos pobres!


Autor anónimo.
Adaptação de José Gomes


Beira-rio (Fumo - ilusão...) Março 06

-----------------
"Verdes Anos"
Carlos Paredes
-----------------


4 comentários:

  1. Também já conhecia por e-mail e faz sempre reflectir. beijos

    ResponderEliminar
  2. Olá Zeca!
    Tenho a sensação de já ter lido algures, há muito tempo; é claro que este teu toque está muito bem.
    Um beijo da

    Maria mamede

    ResponderEliminar
  3. Anónimo7/3/07 00:11

    Cool blog, interesting information... Keep it UP »

    ResponderEliminar
  4. Enjoyed a lot! here

    ResponderEliminar