domingo, 29 de janeiro de 2006

Timor e o relatório da CAVR...

Antes de começar propriamente este "post" quero deixar a tradução daquele "palavrão" no título: CAVR - Comissão de Acolhimento, Verdade e Reconciliação.
Foi uma Comissão criada para investigar as atrocidades, violações aos direitos humanos e crimes contra a Humanidade acometidos em Timor durante os 24 anos de ocupação indonésia.

Monumento ao massacre de Setembro de 1999

Não resisto passar a notícia da Agência Lusa que me chegou às mãos no dia 25 de Janeiro, sobre o cancelamento da visita do presidente Xanana Gusmão à Indonésia para entregar às entidades governamentais daquele país o relatório das atrocidades cometidas em Timor-Leste durante a invasão e ocupação indonésia.
O cancelamento da visita era mais que lógico! Para complementar a notícia deixo-vos com o post de Manuel Leiria de Almeida, (
http://tatamailau.blogspot.com/) desse mesmo dia, que fez uma abordagem a essa visita e recordou pormenores que se vão esfumando no tempo… Para que a memória dos povos não esqueça nunca!
Amigo Manuel Almeida, não resisti a este “roubo”… mas é por uma boa causa!

“Díli, 25 Jan. (Lusa) - Jacarta cancelou a visita que o Presidente timorense, Xanana Gusmão, tinha prevista na sexta-feira para entregar ao homólogo, Susilo Bambang Yudhoyono, uma cópia de um relatório contendo as atrocidades cometidas em Timor-Leste durante a invasão e ocupação indonésia.
A notícia do cancelamento da visita foi divulgada hoje na edição electrónico do jornal Finantial Times.
O relatório, elaborado pela Comissão de Acolhimento, Verdade e Reconciliação (CAVR), passa em revista as violações aos direitos humanos e os crimes contra a Humanidade perpetrados em Timor-Leste entre 25 de Abril de 1974 e 25 de Outubro de 1999.
Ao longo de 2.500 páginas, o documento reporta em pormenor as atrocidades indonésias, entretanto desmentidas pelas autoridades de Jacarta, que nega que 183 mil pessoas tenham sido mortas durante os 24 anos de ocupação.
De acordo com o Finantial Times, o cancelamento da visita constitui uma retaliação à entrega de cópia do relatório da CAVR às Nações Unidas, pelo próprio Xanana Gusmão ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan.
Um porta-voz da Presidência indonésia, Garibaldi Sujatmiko, salientou que o encontro - que chegou a ser anunciado em Díli -, "não figura na agenda" de Susilo Yudhoyono.
O embaixador de Timor-Leste em Jacarta, Arlindo Marçal, é citado na notícia do Finantial Times como tendo referido que Díli vai continuar a tentar manter abertos os canais de diálogo com a Indonésia, para discutir o relatório e o seu conteúdo.
De acordo com o relatório, a cujo Sumário Executivo a Agência Lusa teve acesso, pelo menos 183 mil pessoas terão sido mortas durante os 24 anos da ocupação indonésia de Timor-Leste.
O relatório, que na versão portuguesa tem cerca de 2.500 páginas, salienta que 70 por cento das mortes ocorreram às mãos das forças de segurança indonésias e de milícias timorenses treinadas e armadas por Jacarta.
A grande quantidade de pormenores sangrentos das violações aos direitos humanos, que segundo a CAVR envolveu as forças de segurança indonésias e as milícias timorenses e, nalguns casos, a própria FRETILIN, está na base da decisão dos líderes políticos timorenses em salvaguardar as conclusões e proceder de forma calculada à sua divulgação, o que deverá acontecer até Junho próximo.
Escrito a partir de 18 meses de trabalho no terreno, onde foram realizadas mais de 1.500 acções de reconciliação comunitária, com vítimas e violadores frente a frente, e identificadas mais de 8.000 vítimas, o relatório foi intitulado "Chega!", expressão que representa um alerta às consciências para que o que se passou nunca mais volte a repetir-se.
O rol de violações descrito varia entre execuções colectivas a deslocamentos forçados da população civil, passando por estupros, actos de tortura e abusos de crianças.
O documento assinala vários crimes, designadamente o massacre de 160 guerrilheiros da FRETILIN e familiares, perpetrado em Setembro de 1981 nas encostas do Monte Aitana, entre os distritos de Manatuto e Viqueque, a sudeste de Díli.
Esta acção foi definida pela CAVR como fazendo parte da chamada Operação Kikis, uma iniciativa levada a cabo pelos indonésios ao longo de dois meses naquela região.
Sobre os acontecimentos de 1999, designadamente em Agosto desse ano, quando se realizou a consulta popular patrocinada pelas Nações Unidas e em que a população timorense optou pela independência, o relatório considera que as acções de destruição encetadas por Jacarta corresponderam a uma estratégia definida gizada pelo comando militar indonésio, ao mais alto nível, não resultando de acções descontroladas ou actos individuais de militares indonésios.
"Membros da administração civil de Timor-Leste e funcionários governamentais, incluindo ministros, estavam a par da estratégia levada a cabo no terreno, e não tomaram nenhuma medida para a impedir de ser executada", destaca o documento.
Em cada caso de violação dos direitos humanos apenas são identificadas as unidades militares.
A identificação dos responsáveis individuais, cujo número não é revelado, está codificada e a lista secreta está em poder de Xanana Gusmão.
O relatório destaca que entre 1977 e 1979, pelo menos 84.200 pessoas morreram de fome e doença, em resultado das transferências forçadas de populações para campos fortemente controlados pelos militares indonésios.
Peça da história recente de Timor-Leste, o relatório é agora também motivo de disputa política, com as organizações de direitos humanos e a hierarquia católica timorense a pressionarem no sentido da divulgação, enquanto os órgãos de soberania de Timor-Leste insistem no controlo da difusão.
De uma forma ou de outra, o relatório da CAVR vai contribuir para que todos os que nele estão representados, vítimas e algozes, revivam os acontecimentos espoletados há 30 anos.
Lusa/Fim”

25 Janeiro 2006

11º Mandamento: não cutucar a onça com vara curta!...

"Jacarta cancela encontro de Xanana Gusmão com homólogo indonésioJacarta cancelou a visita que o Presidente timorense, Xanana Gusmão, tinha prevista na sexta-feira para entregar ao homólogo, Susilo Bambang Yudhoyono, uma cópia de um relatório contendo as atrocidades cometidas em Timor-Leste durante a invasão e ocupação indonésia" (notícia da LUSA)Pois é: quem anda à chuva molha-se...O que é que, raio, "lhe" --- a ele... --- terá passado pela cabeça para querer ir a Jakarta entregar o relatório? Estava à espera que o Presidente indonésio sorrisse e agradecesse muito tanto incómodo e terminasse dizendo "desculpe qualquer coisinha!"?!...

Manatuto
(Esta não é a Ribanceira de Ainaro, mas a única foto que tinha que permite ver as escarpas em Timor...)


E já agora, para que a "prenda" fique completa...

... podia entregar, além do relatório, uma caixinha com ossos dos que morreram e uma saca das que eram usadas pelos indonésios para meter dentro timorenses e depois atirá-los vivos da ribanceira de Ainaro que ficou conhecida por "Jacarta" por os indonésios atirarem dela abaixo (cerca de 70 metros de altura!...) os timorenses e lhes gritarem: "agora voa para Jacarta!..."E não se esqueça de colocar um lacinho cor-de-rosa!...

(Manuel Leiria de Almeida)

**************
Nada melhor que terminar este trabalho com uma canção emblemática interpretada pelos Xutos e Pontapés: TIMOR
*****************
José Gomes



12 comentários:

  1. Mas que mais se pode esperar da Indonésia? beijos

    ResponderEliminar
  2. Um excelente artigo, Zé. Estou sem palavras. Um bjinho para vocês

    ResponderEliminar
  3. ola ze. obrigado pela tua visita. bom fim de semana para ti também.
    bom artigo como é costume da tua parte.

    abraço da leonoreta

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelas vossa visitas e pelos comentários deixados.
    Só assim vou-me apercebendo se vale a pena aguentar os três blogs ou ir eliminando-os gradualmente.
    Boa semana para todos.

    ResponderEliminar
  5. Pois no que diz respeito a este, continue porque é muito bom!
    Felicidades

    ResponderEliminar
  6. Olá Zeca. Pensei que já tinha deixado mensagem, pois já por aqui andei há algum tempo, mas não ficou nada.
    Então agora, aqui vai:-Estás proibido de deixar "cair" qualquer dos Blogs.
    É certo que as visitas são muitas mas as mensagens poucas, mas, como diria a minha Avó - só fazem falta os que vieram- , por isso avante
    camarada!!!

    Um beijo enooooooooooooorme da
    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  7. Olá, Zé! Vai ao meu blog Palavrejando !Tens lá um desafio! PARTICIPA! **

    ResponderEliminar
  8. Como sempre um belo texto, Zé. Continua. Nem sempre comento mas ando por cá...

    Beijinhos e bom fim de semana.

    Leonor

    ResponderEliminar
  9. Olá Zé. Passei para te dar um abraço e deixar-te um bjinho por este Domingo que lentamente se acaba.
    E não penses e desistir dos blogs.

    ResponderEliminar
  10. Obrigado pelas vossas visitas.
    Mas hoje pensei na Mulher... e a elas dedico o próximo post.
    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderEliminar
  11. I have been looking for sites like this for a long time. Thank you! film editing schools

    ResponderEliminar