quarta-feira, 31 de agosto de 2005

Timor - 30 de Agosto 1999 - O Referendo

Timor
(6 anos depois do referendo de 30 Agosto de 1999)


Depois de uma luta heróica de mais de 24 anos, onde morreram milhares e milhares de timorenses, Timor Leste veio a ser reconhecido como país livre e independente pela comunidade internacional, graças ao Referendo que fez inveja a muitas democracias ocidentais.
Foi o resultado do Referendo de 30 de Agosto de 1999 (em que a esmagadora maioria do povo timorense recusou a autonomia prometida pelo governo indonésio) que projectou a Nação rumo ao futuro, mesmo com um custo demasiado alto em vidas humanas e em destruições.
Estas teriam sido evitadas se os “senhores polícias do mundo” fossem tão céleres como o fazem (quando lhes convém!...) nos dias de hoje!


Ruinas do Palácio do governador - Lahäne - Timor 1999 - Foto Helena Espadinha


As milícias integracionistas pró-Jacarta – não contentes com os resultados do Referendo, em que 78,5% dos eleitores votaram a favor da independência – juntamente e em cumplicidade com os soldados indonésios no território mergulharam Timor, mais uma vez, na barbárie, espalhando o seu ódio e deixando atrás de si rastos de sangue, destruição e morte.

Timor 1999 - Foto Helena Espadinha

Finalmente, em 20 de Maio de 2002 ( dia 1 de Timor Lorosa’e) esse direito à independência foi consagrado e reconhecido internacionalmente.
Nasceu, assim, a primeira Nação deste milénio.

Timor - Dili - 2004 - Foto Prof. António Serrra

Com o nascimento de Timor Lorosa'e começou a reconstrução de um País que foi queimado...

Timor - 2005- Palácio do Governador - Lahäne - (trabalhos de reconstrução
subsidiados pela Câmara Municipal de Lisboa) - Foto Prof. António Serrra

Timor - 2005- Palácio do Governador - Lahäne - (trabalhos de reconstrução
subsidiados pela Câmara Municipal de Lisboa) - Foto Prof. António Serrra

Timor voltou a ser uma País onde já se pode começar a sonhar... e a sorrir!

Timor - 2004- Jovem sorrindo, com olhos postos no Futuro!
Foto Prof. António Serrra


Timor é um país de sonho e encantamento, perdido em planícies verdejantes e montanhas floridas.
Como é belo sonhar à sombra dos tamarindos em flor, aspirar a brisa ondulante dos extensos palmares,
sentir o perfume inebriante do sândalo e dos cafezais. (...)

In Recordações da minha mocidade – 1999 - José Gomes

Sentados na Praia da Areia Branca, em Díli, numa noite de estrelas, pai e filha (Passado e Futuro),
embalados pelo vai e vem das ondas do mar, contemplam o céu:
— Papá, já viste quão belas são as estrelas do céu?
— Filha, já reparaste que os teus olhos são um pedaço do brilho, da força e da beleza de milhões de estrelas
que pulsam dentro de ti, em sintonia com o Universo?

In “A Timor” – 2003 - José Gomes


A Timor Lorosa'e:

Que todos os sacrifícios em vidas e bens tenham sido semente lançada a terra virgem que germine um PAÍS de PAZ, PROSPERIDADE, ESPERANÇA e JUSTIÇA.

José Gomes

-----------------

Tema musical:
TIMOR
Tuna Universitária do Porto
Concerto de apresentação da queima das fitas 2000
Faixa 11
Ouçam, por favor, a música até ao fim - 5. 29 minutos

20 comentários:

  1. Obrigada,
    Obrigada,
    por te teres lembrado e fazeres lembrar Timor !...
    Esta música põe-me sempre arrepiada, tal é a emoção e a força da mesma.
    Beijos
    Milú

    ResponderEliminar
  2. Mais um bom post, desta vez a lembrar uma terra tão massacrada. beijos

    ResponderEliminar
  3. Anabela Alves Sequeira (Furak)31/8/05 16:42

    Lindo demais! Gostei muito! Tudo correctamente contado... só faltou atribuir os louros a quem de facto os merece por ter conseguido com firmeza e determinação conduzir a longa luta de libertação da Pátria até ao último minuto.
    Faltou também lembrar que em 2005 comemoramos o 30º aniversário da proclamação da independência (a tal que o mundo reconheceu em 20 de Maio), o 30º aniversário da criação das FALINTIL (o garante da continuidade da luta quando o mundo (alguns) lhes chamavam bandidos armados) e tambem o 30º aniversário da criação da OPMT (que, na sequência da longa actividade, continua hoje a tentar libertar a mulher Timor).
    Parabéns pelo texto, pela selecção das fotos e sobretudo pela coragem de ainda lembrar Timor.
    Anabela Alves Sequeira (Furak)

    ResponderEliminar
  4. Um aconteciemnto memorável para a História de Timor e, que aqui tão bem recordas!
    E, ainda bem que o recordas!
    A beleza das imagens sobressai, num País que ainda seca as lágrimas que derramou. è preciso que o sorriso floresça em cada rosto, em cada criança, em cada ser humano.
    Grata por esta partilha e pelo amor que tens a um País, que soube conquistar a Liberdade.
    Realço a música, que gostei muito de a ouvir...e continuo ainda a ouvir
    Um abraço terno ;)

    ResponderEliminar
  5. lindo, o post. lindas as fotos. lindo o por do sol com uma cor laranja tao intensa.
    linda, a lembrança pela Milú. um beijinho para ela.
    abraço da leonor

    ResponderEliminar
  6. Leonor...
    E não dizes nada sobre a música, bolas!!!!
    Espera 20 segundos e vivra com ela...
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. oh ze. desculpa. a musica é formidavel. tambem nao e preciso gritares.rs
    abraço da leonor

    ResponderEliminar
  8. Não gritei, só quiz dizer olá!
    Não sei como se fazem smileys, senão fazia-te uma careta!!!!
    Abraços

    ResponderEliminar
  9. Cláudia C.1/9/05 23:17

    Ainda não li todo o post, mas vou já deixar um comentário: tudo o que sinto relativamente a Timor está bem expresso nesta música que, felizmente, pude ouvir in loco há 5 anos atrás... :-)

    Cumprimentos e votos de longevidade para o blog...

    Cláudia C.

    ResponderEliminar
  10. Querido Amigo,

    Subscrevo integralmente todas as tuas palavras,

    Não conhecia esta maravilhosa versão da Tuna Universitária do Porto. Obrigado.

    Um Fraterno Abraço,

    ResponderEliminar
  11. oh zé eu nao mereço caretas... ou mereço?
    rs

    ResponderEliminar
  12. Gostaria de deixar aqui alguns comentários ao peddoal que me respondeu até aqui (e à Mamede que, por mais que tente, não consegue deixar escrito aquilo que escreve em "comentários". Não te aflijas, na próxima reunião só saio daí depois de saberes responder aos comentários de olhos fechados!!!!!)
    Milú Não tens que me agradecer nada! Tu és os "meus olhos" em relação a Timor pois se comecei a amar a tua Terra foi porque tu me tens contado coisas tão lindas da tua infância e juventude.
    É meu dever não deixar esquecer o "espírito de Timor" e muito menos as lutas que o Povo Maubere travou durante muitos anos até atingir a Liberdade e ser dono do seu Destino.
    Wind Sempre na primeira linha dos comentários. Obrigado pelas tuas palavras...
    Furak Alves às vezes o mundo é mesmo muito pequeno e tive cá ontem em casa o meu cunhado que tu conheces bem, ou não se chamasse Tó Coelho... diz-te alguma coisa este nome?
    Conheço Timor pelos olhos da Milú (eu nunca lá estive) e pela "luta" travada durante estes 31 anos ajudando com os fracos recursos que tinhamos para que este Povo pudesse ser livre e independente.
    Sempre fui fazendo qualquer coisa para que não caisse no esquecimento...
    Os louros devem ser atribuídos a um POVO que soube resistir e lutar por um ideal de Liberdade e Independência.
    Evidentemente que a guerrilha teve um papel preponderante, isso é inegável.
    Quando fiz este post preocupei-me por recordar um POVO que em 30 de Agosto soube mostrar ao mundo o que pretendia fazer ao seu destino.
    Escolheu a Liberdade apesar dos custos que isso poderia ter, como realmente aconteceu.
    Não pretendi fazer uma resenha histórica.
    Esse trabalho pertence aos historiadores.
    Limitei-me a ser um trovador atento.
    Daí a canção...
    Um abraço Anabela Furak!
    Obrigado, MM, Leonor pelas vossas palavras.
    Como diz a Milú a música do João Gil e o poema do João Monge, na voz do Luís Represas, faz-me calafrios.
    E vibro!
    Cláudia e Fernando esta é a minha maneira de travar uma luta. Não deixar que o que aconteceu se diluia no nevoeiro do Tempo...
    Aos restantes leitores, obrigado pela vossa presença, embora invisível, mas que é assinalada pelo contador.
    Viva Timor Livte e Independente.

    ResponderEliminar
  13. Olá, Zé! Impressionante este "post". Pelo que aprendi, relembrei e estou a ouvir! Percebo agora de onde vem essa Força de Sentir Timor!! ;)**

    ResponderEliminar
  14. Anabela Alves Sequeira (Furak)2/9/05 23:27

    Claro que esse Tó Coelho é o meu muito querido amigo!!! E futuro sócio em Timor-Leste.
    .. os louros ao povo... sim, está bem... pessoalmente gosto mais de personificar essas atribuições. Povos sem rumo, sem direcção, sem orientação estariam condenados a ser eternamente subjugados.
    Estou a lembrar-me de uma frase que ouvi muitas vezes, quando cheguei de Moçambique numa passagem apressada por Lisboa para ir assistir à proclamação da independência de Angola: "o povo unido jamais será vencido"... foi o que aconteceu em Timor-Leste, a unidade de todo um povo por um objectivo único. Mas essa unidade deu muito trabalho a construir... foi feita de porta em porta e as pessoas "consquistadas para a luta" uma a uma! Não era possível "falar às massas", por isso, povo unido e motivado, devidamente encaminhado até à vitória final... traduz-se de facto numa vitória, mas os meus louros vão sobretudo para aqueles que souberam motivar o povo, tarefa árdua e continuada na qual muitos se empenharam até ao último suspiro. Deposito hoje, coroas de louros nos seus túmulos de cada vez que visito Timor-Leste.
    Abraços,
    Anabela Alves Sequeira (Furak)

    ResponderEliminar
  15. Conheço Timor através de slides lindos, lindos... Tenho um familiar que esteve lá a fazer o serviço militar e que veio apaixonado por tudo quanto viu, especialmente as paisagens naturais.
    Como sempre, uma maravilha o modo como expões as coisas.

    Leonor (a outra...)

    ResponderEliminar
  16. Zé, com atraso e apressada deixo aqui este chuvisco na esperança que fertilize tuas palavras para que sigam fortalecidas,cumprindo a missão maior: fazer melhor a vida!
    Seja onde for, seja de quem for.
    Um abraço, continue, teu blog é dos melhores! Amiga Sylvia

    ResponderEliminar
  17. Linda música, lindo texto, lindas fotografias.
    Um prazer visitar o teu blog.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. oh ze. fiquei com tanta pena da tua galinha branca. imagino o desgosto que nao foi para ti. boa semana, ze.
    abraço da leonor

    ResponderEliminar
  19. Que belo artigo, Zé. É lá onde nasce o arco-íris? Bjokas para o casal encantador

    ResponderEliminar
  20. What a great site here

    ResponderEliminar